Achille Raymond

O capitão da indústria

1914 - 1918

A primeira guerra mundial

Os botões de pressão encontram um novo mercado nos equipamentos militares. Achille Raymond lança-se na fabricação de espoletas para balas e pequenos obus. Os homens, mobilizados, são substituídos por pessoal feminino que responde ao desafio. A fábrica de Lörrach é requisitada pelas autoridades alemãs. 

1919

A sobrevivência da empresa

O mercado internacional da luvaria sai desta guerra muito fragilizado. Achille Raymond diversifica a produção com ilhós, rebites e torniquetes, mas também produtos especiais, tais como os porta-cachimbos, alfinetes de gravata, dedais…

1925

Surgimento do fecho VITEX

A Fábrica A.Raymond recupera o nível que tinha antes da guerra. Primeiras fixações em aço temperado e início da produção do fecho de correr VITEX que será fabricado durante 40 anos.

1925

Marius Conil

Diretor da fábrica alemã de 1925 a 1933 e, mais tarde, diretor comercial do estabelecimento francês, será nos anos 50 um dos artesãos da reconversão para o mercado automóvel.

1933

Jean Perrochat

Sucede a Marius Conil em Lörrach e será um personagem-chave no renascimento da empresa alemã, em 1946. Dirige o estabelecimento até 1975.

1935

Primeira patente de um clipe em aço temperado

Dedicado à fixação de molduras na carroçaria automóvel.

1939 - 1945

A segunda guerra mundial

Em 1939, a fábrica de Lörrach passa sob a autoridade alemã como "bem inimigo". Em França, Achille Raymond enfrenta a mobilização. O seu filho Albert-Victor, oficial ligado a um regimento britânico, consegue evadir-se de um campo onde havia sido feito prisioneiro. Achille Raymond falece em 1941. Albert-Victor assume então a direção da empresa de Grenoble. 

1941

Albert-Victor Raymond

O lutador
Homem dedicado, orienta a empresa durante os anos de ocupação sem nunca renunciar aos seus ideais. A prosperidade econômica dos anos 50-60 faz da "Maison Raymond" uma empresa sólida.